Olimpíada de Física e Cultura

       A Olimpíada Internacional de Física e Cultura - IPhCO nasceu de um sonho: criar uma olimpíada de física diferente das olimpíadas tradicionais. Hoje em dia temos recursos incríveis a nossa disposição e nesse sentido estamos vivendo uma nova era.  A IPhCO vem oferecer um novo conceito de aprendizado e competição. Ela é focada nos jovens de hoje, que gostam de aprender coisas novas, mas querem fazer isso de forma divertida. Quem aceitar o desafio vai carregar a tocha olímpica em busca de conhecimento e ao longo desse caminho esperamos que descubra coisas novas e adquira conhecimento em diversas áreas. Em casa ou na escola, a ideia é desafiar nossos peregrinos do conhecimento permitindo que caminhem de forma independente, livre e criativa.  Assim como em uma olimpíada de física tradicional, você terá problemas de física para resolver, porém a  IPhCO  tem algumas diferenças:

Em vez de receber os dados do problema, receberá pistas e charadas. Em alguns casos terá que resolver uma charada matemática, em outros aventurar-se pelo street view e procurar a informação que precisa.

Você não terá que resolver os problemas num ambiente restrito, poderá fazer isso em qualquer lugar desde que tenha acesso a internet.

 

A pressão do tempo é menor, você terá um dia inteiro para resolver cada problema.

A olimpíada não foca em testar os seus conhecimentos, mas sim, em trazer novos conhecimentos para você.

Nessa olimpíada o conhecimento é tratado como um todo, a ideia é conectar em vez de fragmentar.

Cada semana, você terá a chance de participar de três a quatro vezes. Se você errar algum desafio poderá continuar participando. A medida que for acertando os problemas irá receber os cartões.  Fique atento para a correspondência que chega a sua casa!

 

       Esperamos que tenha uma boa caminhada e nos despedimos com trechos de um poema de Konstantinos Kaváfis (traduzido por Jorge de Sena) chamado Ítaca:

 

Quando partires de regresso a Ítaca,

deves orar por uma viagem longa,

plena de aventuras e de experiências.

Deves orar por uma viagem longa.

Que sejam muitas as manhãs de Verão,

quando, com que prazer, com que deleite,

entrares em portos jamais antes vistos!

 

Terás sempre Ítaca no teu espírito,

que lá chegar é o teu destino último.

Mas não te apresses nunca na viagem.

É melhor que ela dure muitos anos,

que sejas velho já ao ancorar na ilha,

rico do que foi teu pelo caminho,

e sem esperar que Ítaca te dê riquezas.

Ítaca deu-te essa viagem esplêndida.

Sem Ítaca, não terias partido.

Mas Ítaca não tem mais nada para dar-te.

Por pobre que a descubras, Ítaca não te traiu.

Sábio como és agora, senhor de tanta experiência,

terás compreendido o sentido de Ítaca.